Avançar para o conteúdo principal

2018. Recomeçamos?

Os fechos de ano são tramados.
Há os que param para pensar no que não se concretizou, no que falhou, na culpa do A, do B, do Z.
Há os que param para ver o que correu bem, o que encheu o ano de luz, o que se aprendeu naqueles 365 dias.
E há os que não analisam nada e seguem.
Porque talvez não haja certos ou errados, e parar é morrer.

Designed by Molostock /Freepik
O curioso é que nunca como agora sentimos tanta necessidade de procurar um sentido. Porque antes o caminho era simples, e a felicidade era seguir por ali. Agora que temos o mundo num ecrã nas nossas mãos, não sabemos o que fazer com tantas possibilidades, tantos sonhos, tanto tudo.

Por isso, reflecti um pouco na revista PROGREDIR sobre algumas ideias simples para um 2018 mais simples, leve e feliz.

Para entrarmos 0 kms num novo ano a estrear e viver.
Os sorrisos.
As gargalhadas loucas.
O pôr do sol.
Um sabor novo a explodir na boca.
O sangue nas veias.





Comentários

  1. É a base de tudo, Olívia :): o amor companheiro, o amor pelo que fazemos, pelo que somos. Obrigada pela visita! Bom ano

    ResponderEliminar

Enviar um comentário