Avançar para o conteúdo principal

Pessoas&Projectos #1 - Entrevista Anita Silvestre, da LOOK A DAY

Então é assim malta: se o Vida 1.0 existe é porque fiz um workshop com a Anita Silvestre que plantou cá a sementinha. Por isso a primeira pessoa que queria entrevistar nesta ideia de mostrar projectos nacionais interessantes e as pessoas por detrás deles...tinha de ser ela. J

Ao fim e ao cabo, ela encontrou a felicidade e ajuda a criar a dos outros, com o seu projecto de style coaching LOOK A DAY.

Aqui fica a entrevista, porque temos de divulgar as coisas motivadoras que vão acontecendo dentro de portas. E são cada vez mais!

(c) LOOK A DAY

Vida1.0: Obrigada Anita por teres aceite de imediato!

Anita: Obrigada eu! J

V1.0: Depois de uma experiência profissional pelo mundo corporativo, decidiste seguir um caminho que te fazia mais feliz. Nessa época tinhas claro como querias que a LOOK A DAY viesse a ser?

A: Não, nem nessa altura imaginei alguma vez que estaria a fazer o que faço hoje. Licenciei-me em Publicidade e Marketing e comecei a trabalhar na minha área, em Marketing Online essencialmente, mas comecei logo a perceber que não gostava assim tanto do que fazia. Principalmente não gostava de estar fechada num escritório, à frente do computador o dia inteiro. Nem de ter chefes e ter horários e a vida normal que a maioria das pessoas tem. Por alguma razão, sentia-me miseralvemente infeliz com essa vida e após duas ou três experiências no tal do mundo corporativo decidi que o problema era mesmo meu, não me estava a ver a conseguir adaptar ao mundo do trabalho normal e, então, surgiu a opção de me lançar no mundo do empreendedorismo e trabalhar por conta própria. 

Tinha tido uma cadeira de empreendedorismo na faculdade e ficou o bichinho... então dediquei-me a fazer formação, ainda no meu último trabalho por conta de outrém. Sempre gostei muito da área de Psicologia e fascina-me tudo relacionado com o comportamento humano, por isso, ao ter conhecimento do Coaching pareceu-me a área ideal para mim e que me permitia ajudar-me a mim própria a saber por onde ir e ter formação em algo que poderia ser a minha atividade futura, como se veio a concretizar. 

Percebi também, na altura, e já com a ajuda do auto-coaching que gostava muito também da área da imagem e era super fã de programas de televisão de makeovers como o How Not To Wear e via-me perfeitamente a fazer aquilo, então, fui fazer o curso de Consultoria de Imagem. Sim, os meus gostos televisivos decidiram o meu futuro profissional! E foi enquanto ainda estava a frequentar o curso de Consultoria de Imagem, em 2011, no dia em que fazia 25 anos, que lancei a LOOK A DAY, que começou como um blog sobre temáticas à volta da moda e da imagem pessoal mas já com a ideia de ser a minha marca e a base da minha atividade enquanto consultora de imagem, inicialmente, e life coach também mais tarde. 

Nesse mesmo ano lancei os meus serviços no blog, comecei a fazer workshops e foi assim que comecei a trabalhar, por conta própria, como style coach – o meu conceito, hoje em dia, e que abarca as duas áreas a que me dedico e que decidi juntar porque acredito muito no desenvolvimento pessoal de dentro para fora e vice-versa. 

Portanto, enquanto trabalhava por conta de outrém só tinha ideia de que não queria continuar a fazer aquilo, o projeto da LOOK A DAY surgiu depois enquanto me formava – o curso tinha a duração de um ano e logo desde o início, como gostei logo imenso da área da Consultoria de Imagem e percebi que o meu caminho seria por ali, comecei a pensar no projeto e conceito e antes do curso acabar a LOOK A DAY já estava criada. E, com muitas mudanças e ajustes normais da evolução de qualquer projeto, e pessoa, continua até hoje, quase 7 anos depois. E foi, definitivamente, a melhor decisão que tomei e risco que decidi correr – tem compensado, e muito.


V1.0: Nas tuas sessões de consultoria de imagem, defendes que se pode quase sempre viver com muito do que já se tem no armário, bastando pôr-lhe outros olhos e ver combinações que não existiam antes. Isso tem muito em si de minimalista e consumo sustentável… J Tu na tua vida também tentas encontrar soluções de looks que te simplifiquem a vida?

A: Sim, muito da minha filosofia no trabalho e na LOOK A DAY provém da minha filosofia de vida e da minha própria forma de ver as coisas e de as viver. A simplicidade, tanto no estilo como na vida, em geral, é o conceito e a missão da LOOK A DAY e eu própria tendo a ser bastante minimalista no estilo e na forma de viver. 

Nunca fui muito consumista e sou até bastante poupada (forreta, mesmo) e acabo por ter mais dificuldade em comprar do que não comprar porque penso sempre demasiado e a verdade é que, quase nunca, há necessidade de comprar mais uma peça de roupa ou seja do que for. E com a experiência com as clientes de consultoria de imagem penso que ainda me tornei mais minimalista. 

A maioria das pessoas tem armários muito cheios, com imensa roupa e, regra geral, essa é a razão para me procurarem e sentirem a grande dificuldade em vestir-se e escolher looks e sentirem-se satisfeitas com o seu estilo. Quanto mais opções temos, mais difícil é fazer escolhas logo, mais não é, de todo, melhor. E as pessoas tendem a pensar que o que precisam é de comprar ainda mais mas se não souberem rentabilizar o que têm vão continuar insatisfeitas com mais coisas e sem saber o que lhes fazer. Por isso, acho muito mais útil ensinar a pessoa a ‘fazer compras no próprio armário’, usando alguns truques para que consiga ver o poder versátil de cada peça e de construir muitos mais looks diferentes com menos roupa. Pessoalmente, tenho pouca roupa e tento simplificar ao máximo porque não quero que a gestão de guarda-roupa me ocupe tempo e energia, logo, como gosto mais de usar saias e vestidos, por exemplo, só tenho e compro, quando preciso, vestidos e saias. 

Aquilo de que gosto e que me fica bem e que é o meu estilo está bastante claro na minha mente, logo, é mais fácil quando preciso de comprar, assim como uma vez que não gosto mesmo nada de tarefas domésticas e para evitar passar a ferro, por exemplo, tecidos que amarrotem ou que exijam muita manutenção estão automaticamente excluídos. E todas as minhas peças são versáteis e vou cruzando combinações, mesmo com poucas peças, para ir criando looks diferentes, no entanto, não tenho problema nenhum em repetir conjuntos – eu sou muito fiel, inclusive no estilo, logo, quando gosto tendo a repetir. E o mundo não acaba nem sou presa pela polícia da moda. J


V1.0: Nas peças que as clientes acabam por querer “destralhar”, ainda tentas ver se há algum recycling/upcycling possível?

A: Sim, no processo de detox do armário a triagem divide o que as pessoas têm no armário entre o que não vale a pena ficar porque não favorece, está gasto ou estragado ou já não tem que ver com a pessoa, o que é viável e fica e as peças que poderão ser viáveis mediante alguma arranjo ou somente uma forma diferente de usar, dando-lhe um twist de styling, que a pesssoa nunca tinha imaginado.


V1.0: E na área da beleza, que truques simples tens para ti ou ensinas às tuas clientes que ajudem a estar bem de forma descomplicada? Sugeres algum tipo de truques/produtos mais “caseiros e naturais”?

A: Na beleza a regra também é a de que menos é mais. Não são necessários mil e quinhentos produtos e vinte mil passos para a rotina diária de limpeza da pele e maquilhagem. Penso que essa ideia faz com muitas mulheres não façam nada nem tentem sequer, por isso, nas aulas de maquilhagem o que ensino são os básicos e a simplificar a rotina com os passos essencias apenas – limpeza, hidratação, base, corretor, máscara de pestanas, blush e batom ou hidratante de lábios. Só assim uma maquilhagem simples já faz a diferença e a pessoa sente-se melhor e completa o look. Eu própria é a rotina que sigo, quando me maquilho, e quando tenho alguma ocasião especial, então capricho no batom ou na maquilhagem dos olhos, e é isso. Sobre truques caseiros há um que costumo sugerir, já que lábios secos parece ser um mal geral, que é esfoliar os lábios com uma mistura de mel e açúcar.


V1.0: Outra área em que também trabalhas é a do coaching feminino. Que pontos costumas trabalhar mais frequentemente para as mulheres encontrarem uma nova felicidade?

A: Acredito na mudança exterior e interior, essencialmente, e na maioria das vezes o desejo de mudar ou melhorar a imagem está associado a mudanças na vida das mulheres, em várias áreas, logo, o life coaching ou coaching feminino, uma vez que me dirigo exclusivamente a mulheres, ajuda no acompanhamento nessas fases de mudança e incerteza de forma a ajudar a definir um caminho e soluções.

Normalmente, as questões que mais trabalho em life coaching têm que ver com a vontade de trabalhar o desenvolvimento pessoal e conhecerem-se melhor e aumentarem a auto-estima, também questões de auto-imagem ou na área da organização pessoal, gestão de tempo e de produtividade entre trabalho e vida pessoal. Ajudo também a descobrirem o propósito de vida e eventualmente a enveredarem por um projeto próprio, já que muita gente está infeliz nos seus atuais trabalhos, assim como também trabalho questões de relacionamentos e de comunicação pessoal e interpessoal. 

Acabo por passar pelas várias áreas da vida e este trabalho mais de motivação e quase de ‘decifração’ da outra pessoa e encaminhá-la no seu objetivo e crescimento, é algo que também me dá muito prazer.

 V1.0: Aqui no Vida 1.0 também procuro divulgar ideias de organização/decoração práctica para a casa, não em estilo “fadinha do lar” J mas com o objectivo de simplificar a vida para ganhar tempo para o que realmente importa. Essa é uma área onde poderás vir a pensar fazer algo?

A: De facto, já pensei nisso, a área da restante casa no que diz respeito a organização e decoração até se inseria bem no que já faço e tenho gosto e interesse, mas como o meu objetivo é simplificar em tudo, penso que divergir e acumular mais posições já seria ‘muita fruta’, por isso, penso que me vou ficar pelas duas áreas que ainda há muito que posso e quero fazer. Mas posso sempre escrever sobre o assunto, sim, se se justificar.


V1.0: Sei que és uma leitora ávida de livros de desenvolvimento pessoal (#estoucontigo), se tivesses que dar um top 3 que poderá revolucionar a vida de alguém que nos lê, quais sugeres?

A: Ui, tenho sempre muita dificuldade em definir tops. Mas realmente gosto imenso de livros de desenvolvimento pessoal e a compra de livros é o meu calcanhar de aquiles e onde acabo por ser muito consumista sem depois arranjar tempo para ler tudo o que tenho... mas livros são livros, é a minha justificação. J 

Mas para te dar 3 sugestões de livros que podem mesmo revolucionar a vida de quem os lê, no que diz respeito a minimizar, em tudo, gosto muito do Essencialismo do Greg McKeown que ensina a fazer escolhas, a dizer não e a definir, justamente, o que é essencial para não nos sentirmos assoberdados. Um clássico e que continua super atual é o Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas do Dale Carnegie e que fala de comportamento e ajuda imenso se nos queremos relacionar melhor com os outros e, ao mesmo tempo, sermos melhores pessoas e comunicadores. No campo da psicologia positiva que está muito relacionada com o Coaching e que é também uma filosofia base para mim, gosto bastante do Aprenda a Ser Feliz do Tal Ben-Shahar que é o professor de Harvard que tem o curso mais popular da faculdade, justamente, sobre Felicidade. Mas se me seguirem no meu instagram eu vou lá sempre colocando o que ando a ler e mais sugestões e dicas. 


Para conhecerem mais sobre os serviços de consultoria e coaching e os preços muito simpáticos que a Anita pratica nas suas sessões e programas, deem um passeio pelo seu site, super inspirador. E ela recebe-vos sempre com um sorriso!

(c) LOOK A DAY

Comentários